Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Bridget Jones Portuguesa

O diário de uma marketer a tentar levar uma vida mais saudável

Sobre o (meu) Janeiro

1.jpg

 

Janeiro "já foi". Hoje é o último dia do primeiro mês do ano 2019. 

 

Passou-me um camião por cima. Não literalmente falando, mas sinto como se assim tivesse sido. Tenho a certeza que mais coisas aconteceram durante os 31 dias de Janeiro, mas eu não consigo enumerar nenhuma para além desta.

 

Não gosto de dizer, à boca cheia que, esta é a memória que irá marcar o meu 2019: não vá o diabo estar a ouvir e, com vontade de brincar, pregar uma rasteira maior ainda - sou o tipo de pessoa que não acredita em bruxas, mas que as há, há! - Ainda assim, tenho a certeza que, será uma das memórias mais importantes e tristes que levo deste ano. 

 

A esta memória tenho a certeza que lhe juntarei outra da mesma natureza. Afinal de contas, já são 14 de anos, mas aquece-me o coração saber que são 14 anos muito, muito, muitíssimo mesmo bem vividos. 

 

Só peço para que, os restantes meses do ano sejam mais complacentes com o coração. E que tragam saúde. Muita saúde! Porque no final do dia é tudo o que precisamos.

O resto? "agente" corre atrás! 

 

Untitled-1.jpg

 

 

 

Sou uma Bridget à séria

A Bridget Jones começava sempre os dias a escrever no seu lindinho diário o seguinte: peso, a quantidade de cigarros fumados e o nº de copos de vinho que mandava a baixo ou estarei enganada? Poderia não ser por esta ordem, mas algo semelhante deveria de ser... E eu, a jeitos que deveria de começar a fazer o mesmo...

 

Isto porque, criei este blog dia 10/10/18, com o intuito conseguir manter um estilo de vida mais saudável e ativo - estava eu na expectativa de que, ao ter um cantinho onde pudesse partilhar as minhas conquistas diárias (aka não comi 3 folhados mistos e um pacote de batatas fritas) com outras pessoas, estaria a criar um compromisso comigo e com "os outros" e a contribuir para a continuidade da coisa... - mas na realidade passou-se um mês e eu continuei no ataque aos folhados, às batatas fritas, aos petiscos e à carninha com molho de natas.... *ai deus* 

Como driblar o estresse do fim do ano

Esta falta de vontade que habita em mim, esta inercia que tem andado de braço dado comigo nos últimos 4 anos, tem sido algo que me assusta... 

 

Àquelas pessoas que dizem "só não faz dieta quem não quer. Fazer dieta é fácil, difícil é manter", tenho a dizer: isso é tudo lindo, (perdoem-me os mais sensíveis o palavreado que vou empregar)mas é uma grandessíssima merda! 

 

Nem fazer dieta, nem manter é fácil.. Não, não é! São ambas igualmente difíceis. Não é, como já li por aí algures num blog, fechar a boca e inscrever num ginásio e já está! Fazer dieta, reeducar hábitos alimentares, é muito mais do que isso. Envolve muita força de vontade, muito foco e força para dizer que não às mil e uma tentações que nos rodeiam... ou porque é verão e há mil petiscadas e esplanadas ao final do dia para disfrutar de uma imperial e de um gelado, ou porque é inverno e a comida quentinha (e pesada) é que nos sabe bem, ou porque "chegou" a altura do natal e temos sempre jantares de natal, com grupos diferentes, todas as semanas, ou porque está muito frio e não apetece ir para a ginásio, ou pelo contrário, está muito calor.

 

No fundo, é difícil porque a nossa cabeça inventa desculpas e é aí que temos de trabalhar. E meus amigos, trabalhar o psicológico não é nada, nada fácil! 

 

 

Waffles de Côco Receita

Coisa que eu gosto nesta vida? Comer. Refeição Preferida? Pequeno-Almoço. Se há coisa de que tenho imensa pena é não poder, tantas vezes quanto desejava, caprichar e dar assas à imaginação. Geralmente deixo para o fim-de-semana miminhos como este. 

IMG_8376.JPG

 

image1 (2).jpeg

 

 

 

O Amor não tem curvas

Que atire a primeira pedra quem nunca fez estas figurinhas e se enrolou num lençol ou esperou que o outro saísse do quarto para se "compor" e - tentar - esconder aquelas partes - achamos nós - menos atraentes! 

 

Um corpo é só um corpo. As imperfeições tornam-se minímas aos olhos de quem ama - atrevo-me até a dizer que: passam a ser perfeitas imperfeições! É de facto um cliché dizer-se "Quem feio ama, bonito lhe parece", mas sabem que mais? Os clichés tem um fundo de verdade termenda! 

 

O amor não é feito de curvas. O amor não quer saber se o teu rabo tem celulite ou se na tua barriguinha está instalado um pneuzinho que, muito provavelmente, os teus olhos - ou a tua cabeça - estão a torná-lo maior do que é na realidade. O amor não tem tamanhos. 

E se tiver? Se for feito disso? Então não é amor. 

 

O amor é dizer que estás linda(o), mesmo com uns quilinhos a mais. É ajudar-te a ultrapassar neuras e medos porque, afinal de contas, tu és mais do que um corpo e tens - muito - mais a dar para além disso mesmo. É apoiar-te se quiseres descobrir uma versão melhor de ti mesma(o), mas que isso não seja condição para se amar mais. É ajudar a conquistar um estilo de vida mais saudável, mas sem olhar para balanças, sem se preocupar se - ainda - há casca de laranja entrenhada nas coxas (há quem seja saudável e continue a ter os benditos dos furinhos).  

 

Amem-se. A vocês e aos outros. Não pelo número de calça que vestem, não pelos quadradinhos na barriga que desejam ver - em vocês, mas acima de tudo - no outro. Porque minha gente, isso com os anos vai embora. Deixa de ter importância quando tiverem 60 ou 70 anos. Nessa altura, o que vai importar é o resto: o que é de verdade. 

 

 

I love Bridget Jones' Diary:Edge of Reason!

 

 

Quando o Marketing vai longe demais

Acho que o Digital trouxe coisas muito boas às empresas, nomeadamente, na forma como uma marca consegue hoje chegar ao seu público-alvo, mas acima de tudo os inputs rápidos que consegue retirar desse contacto - quase - imediato. 

 

É tudo urgente. As necessidades. Os desejos. A compra. A ideia surge-nos hoje, mas a vontade é que já tenha chegado ontem. Melhor que isso? Se essa ideia não surge, se esse desejo não se despoleta sozinho, então eu marca vou criar essa necessidade, vou fazer com que o meu cliente queira aquilo, mesmo que ainda não saiba. Como? Mais que nunca através do Digital. 

 

Criar desejos onde eles não existem (ainda)... Acho isso fantástico. Fascinante até - sou suspeita, eu sei - mas é preciso calma e cuidado. Não só entregar esse produto ao cliente certo, mas também no momento certo. 

 

Ora, este assunto vem aqui à baila porquê mesmo? Vou dizer uma só palavrinha e aposto que qualquer pessoa sabe do que falo:

 

Prozis

 

A Prozis tem sido uma das empresas nacionais que, a meu ver, mais cartas dá ao nível do marketing digital! O retargeting e as campanhas de email marketing são excelentes! Acertam no conteúdo ideal, para o cliente certo, no momento indicado. Mas não acho genial esta ideia de qualquer "influencer" - meti entre aspas de propósito, tá? - ter uma campanha de x % de desconto, com o código y. 

 

Não necessariamente por culpa da marca, atenção, acredito que a culpa é mais dos promotores da marca que pecam pela falta de originalidade na apresentação dos produtos e das campanhas que têm a decorrer. Hoje em dia, abrimos o instagram, seja a que hora for, e somos bombardeados com - prozis, prozis, prozis, prozis - que dá logo vontade de duas coisas: cortar na marca e na pessoa que estamos a seguir. 

 

Há pessoas que eu adoro e que já seguia à imenso tempo, mas que me parece terem perdido a essência na mesma proporcionalidade com que aumentaram o número de seguidores. Vale-me as outras (❤) ! 

 

Como o meu avô diz: sou enxertada em corno de cabra. E tenho dito! 

 

IMG_8268.JPG