Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Bridget Jones Portuguesa

O diário de uma marketer a tentar levar uma vida mais saudável

A água e os seus malefícios

1.jpg

 

O sono, para mim, é sagrado. Salvo raras (raríssimas mesmo) exceções em que tenho de tomar produtos naturais para acalmar o tico e o teco e adormecer, sou uma pessoa que dorme 9h a 10 horas, sem problemas. Por norma deito-me cedo, por isso, nunca acordo depois das 9h. 

 

Não me importo de acordar cedo. Aliás, até gosto... Sempre fui pessoa de aproveitar o dia mais do que a noite - discotecas então... nasci com uma alma velha! - Como se costuma dizer: Cada um é para o que nasce. M-A-S daí a acordar às 03h da manhã, todas as noites, porque comecei a beber mais água é que não!  

 

Esta bexiga de pinto não dá com nada e já começa a enervar... Alguma coisa tem de ser feita... E já que não é opção deixar de beber água, comecei a ver se encontro promoções da Lindor que isto assim não pode ser e o meu sono é sagrado... Lindor, as cuecas. Não Lindor, os chocolates. Que uma pessoa está de dieta, o que é que vocês pensam?! Aí, aí... 

 

Untitled-1.jpg

 

 

 

 

 

Desafios para Fevereiro

Untitled-1 (1).jpg

Não sei se é de mim, mas sonhar sem estabelecer objetivos não dá bom resultado. Nada de errado com a arte de sonhar. É ótimo sonhar. Faz bem à alma! Mas fará melhor ainda tornar esses sonhos realidade, principalmente, quando os mesmos dependem única e exclusivamente da nossa dedicação e força de vontade. 

 

Sou uma sonhadora por natureza. Estou sempre a sonhar, acordada e a dormir, mas esses sonhos acabam por se esfumar ao não lhes dar forma e intenção. 

 

Aqui perdida em pensamentos apercebi-me que há muito tempo não estabeleço objetivos.

Sonho, mas não concretizo. E não há nada melhor que metas para inverter essa situação, ou pelo menos, tentar! 

 

Ora não fosse eu de marketing e tivesse esta lengalenga decorada de trás para a frente:

objetivos-SMART.jpg

Os objetivos só são reais se forem SMART: Específicos, Mensuráveis, Alcançáveis, Relevantes e com Timming definido. 

 

Sentindo-me a regressar aos meus 16 anos *jesus* decidi pensar em objetivos que eu gostava de alcançar no mês de Fevereiro.

 

Untitled-1.jpg

 

Estes são os meus objetivos para o mês de Fevereiro. São todos passiveis de acontecer. Dependem só de mim. Estão definidos no tempo. São relevantes e pensados para os objetivos que quero atingir. E são específicos. 

 

Só tenho uma coisa a dizer: Graças a Deus que Fevereiro tem (só) 28 dias porque não comer sushi vai ser um desafio em peras. 

 

Untitled-1.jpg

 

 

 

 

É à quarta-feira que se começam as dietas

Untitled-1 (1).jpg

 

A Dra. Catarina é uma querida. Tanto ela como a D. Graça, rececionista, são uns amores.

 

Apesar de já ter passado bem mais de um ano, desde a última vez que lá tinha estado, lembraram-se de mim e fizeram questão de o demonstrar em palavras. Foi importante, confesso. E aquela forçinha extra da D. Graça sempre que espero pela minha vez ... 

 

Bem, ponto da situação? 

 

Continua muito semelhante à última avaliação física que fiz em Março de 2018 com a diferença que, desci ligeiramente a Massa Muscular e, em contrapartida, aumentei a Massa gorda. Não houve grande alterações no peso, mas houve na % de MM vs MG.

 

Daí tantas vezes dizerem que: não é o peso que conta!!  Mas isso, já eu sabia (haja alguma coisa)! Tanto que, à minha volta continuavam a dizer "estás igual", mas eu vejo o estado da nação quando dispo a roupa. 

 

O plano alimentar que a Dra. Catarina me deu, parece bastante bem. A única dificuldade vai ser em tirar o arroz e a massa e substituir por outros alimentos como o cuzcuz, o grão de bico, o feijão... etc e tal! Isso sim vai ser difícil  como a breca porque nunca fez parte da minha alimentação! A batata doce posso comer (graças a deus), mas quer que eu varie e não coma sempre o mesmo. Quando fiz uma careta disse-me: "se funcionar com o teu corpo e se se vier a comprovar, com as analises, que sofres de SOP, terás de te alimentar consoante aquilo que te fizer melhor." *um minuto de silêncio pelo arroz e pelas massas fachâvor*

 

afe86c371dce4d9f87577385e8efb06f.jpg

 

Hoje foi o dia 1! O meu inicio de Janeiro e segunda-feira. Tudo junto, num só dia: numa quarta-feira.  hoje comecei e com vontade, mas já tive algumas provações, não pensem! A diferença é que não lhes dei ouvidos: aquela fome antes do almoço foi morta (só) com o almoço; e aquela vontade incooontralável por um quadrado de chocolate a acompanhar o café, afinal foi controlável sim! 

Untitled-1.jpg

 

 

 

 

Coisas que se perdem

Dei por mim, nas últimas semanas, a pensar na quantidade de coisas que em miúda tão bem me faziam, com aquele entusiasmo latente de cada vez que me empenhava numa atividade, e que ao longo dos anos fui perdendo. Ler é uma delas, escrever é outra. 

Lembro-me de na altura, já vai para lá de 7 ou 8 anos, - sim, porque isto dos adultos dizerem que o tempo passa a voar, não é brincadeira nenhuma. Nem tão pouco coisa de adulto é. Engraçado como nos começamos a aperceber disso, conforme avançamos no tempo... Divagações à parte -  já andar pelo mundo da blogsfera, satisfeita da vida, a escrever os devaneios que passavam nesta cabeça de arvela - atrevo-me até a dizer que alguns dos textos eram bem jeitosos ... possivelmente inspirada pelo carradão de livros que lia na altura. Tinha sempre a minha mãe à perna a perguntar-me se "quando não tiveres dinheiro, é de livros que te vais alimentar?". Eu que sempre depositei uma carga emocional enormíssima no que à pertença de livros diz respeito, sempre detestei emprestar ou pedir emprestado, agora cinjo-me a ler um, máximo dois, livros por ano. Tenho saudades daquele tempo em que, no blog, tinha um "contador" de livros e nas minhas listas de final de ano, um dos desejos era ler mais x's livros que no ano anterior. 

 

Bridget Jones's Diary (2001) - starring Renee Zellweger as Bridget Jones 

 

Escrever, essa é outra atividade que está bastante enferrojada, perdeu-se, assim como se perdeu o hábito de ler. Hábito ou vontade, nem sei. Sei apenas que não posso acusar o tempo, ou neste caso a falta dele, porque esse está lá. É, é mal gerido. Perdido nas horas infindáveis que passo em redes sociais a "invejar" - não é uma inveja má, não é o invejar no sentido negativo de desejar que aquela pessoa não tenha, é aquele invejar que põe uma pessoa a pensar "fogo, que sorte, queria tanto ser/fazer/estar assim", entendem? - algumas pessoas que sigo. Eu sou das que fala, das que observa, das que gostava, mas.. Há sempre um "mas".

Isso deixa-me triste, mas - lá está - pouco faço para mudar a realidade em que me encontro. 

Por aí há mais alguém com este tipo de sentimento?