Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Bridget Jones Portuguesa

O diário de uma marketer a tentar levar uma vida mais saudável

Sobre o (meu) Janeiro

1.jpg

 

Janeiro "já foi". Hoje é o último dia do primeiro mês do ano 2019. 

 

Passou-me um camião por cima. Não literalmente falando, mas sinto como se assim tivesse sido. Tenho a certeza que mais coisas aconteceram durante os 31 dias de Janeiro, mas eu não consigo enumerar nenhuma para além desta.

 

Não gosto de dizer, à boca cheia que, esta é a memória que irá marcar o meu 2019: não vá o diabo estar a ouvir e, com vontade de brincar, pregar uma rasteira maior ainda - sou o tipo de pessoa que não acredita em bruxas, mas que as há, há! - Ainda assim, tenho a certeza que, será uma das memórias mais importantes e tristes que levo deste ano. 

 

A esta memória tenho a certeza que lhe juntarei outra da mesma natureza. Afinal de contas, já são 14 de anos, mas aquece-me o coração saber que são 14 anos muito, muito, muitíssimo mesmo bem vividos. 

 

Só peço para que, os restantes meses do ano sejam mais complacentes com o coração. E que tragam saúde. Muita saúde! Porque no final do dia é tudo o que precisamos.

O resto? "agente" corre atrás! 

 

Untitled-1.jpg

 

 

 

Carta aberta ao meu coração (de quatro patas)

Untitled-1.jpg

 

 

 

Ainda não tinhas nascido e eu já te tinha escolhido o nome: "a última a nascer, preta, vai chamar-se Flicka". Quis a sorte ou o destino que, para além do nome, também escolhesse(s) que esta seria a tua casa. Eras a quinta deste disparate que um dia tivéramos de ter cinco cães. Talvez por isso a mais ciumenta. Não podias ver-me aproximar de nenhum outro cão e livre-se de quem tentasse aproximar de ti, tivesse quatro ou duas patas. Mas para mim eras de uma meiguice ímpar. Eras o meu lobo(ito) em pele de cordeiro. A (única) que eu ia buscar, à socapa, durante a noite para dormir comigo, e metia o despertador de madrugada para que o pai não nos descobrisse a manha. 

Esta vida madrasta levou-te de mim cedo demais. Cedo. Muito cedo. Obrigada por teres lutado com todas as forças que te restavam. Tenho a certeza de que te agarraste à vida por nós e só por nós.

 

Levaste um pedaço do meu coração contigo, mas um dia cobro-te, com juros, em beijos. 

 

Até já, meu amor. 

IMG_0225.jpg

 

 

Untitled-1.jpg